sábado, 30 de julho de 2016

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Ser criança


criança

Ser criança é acordar e ver o mundo cor de rosa, as flores sorrindo e ganhar uma piscadela do Sol.
 

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Um olhar


um olhar

Nado no seu olhar azulado, o mar enciumado fica de mim, não me importa as águas do mar, pois me abraço nos seus cabelos encaracolados e roço meu rosto no seu.
Suas sobrancelhas  são as ondas que me deito a nadar, sua boca roço a minha na sua e um longo beijo acontece.Mas, o mais me encantou foi esse olhar sem vergonha que estremeceu meu corpo todo e, nesse instante me pegou no colo entramos pelo oceano e nos amamos no vaivém das ondas quando a lua adormeceu.
Dormimos na praia abraçadinhos trocando beijinhos de amor. De repente alguém grita; Acorda Renata, a escola a espera. Pena que foi só um sonho, mas valeu a pena.

terça-feira, 26 de julho de 2016

BOLHAS




Olha a bolha d'água
no galho!
Olha o orvalho!

Olha a bolha de vinho
na rolha!
Olha a bolha!

Olha a bolha na mão
que trabalha!

Olha a bolha de sabão
na ponta da palha:
brilha, espelha
e se espalha.
Olha a bolha!

Olha a bolha
que molha
a mão do menino:

a bolha da chuva da calha!

Cecília Meireles

segunda-feira, 25 de julho de 2016

medo




Se o medo abraçar sua vida, todos os seus sonhos poderão dissipar pelas nuvens e você ficará para sempre sentado no banco da solidão.

domingo, 24 de julho de 2016

O Cavalinho Branco



A tarde, o cavalinho branco
está muito cansado:

Mas há um pedacinho do campo
Onde é sempre feriado

O cavalo sacode a crina
loura e comprida

e nas verdes ervas atira
sua branca vida.

Seu relincho estremece as raízes
e ele ensina aos ventos

a alegria de sentir livres
seus movimentos. foca

Trabalhou todo dia tanto!
desde a madrugada!

Descansa entre flores, cavalinho branco,
de crina dourada!   

Cecília Meireles



                             

sábado, 23 de julho de 2016

Colar de Carolina ( vou copiar até sarar: vai demorar)



Com seu colar de coral,
Carolina
Corre por entre as colunas
da colina

O colar de Carolina
colore o colo de cal,
torna corada a menina

E o sol, vendo aquela cor
do colar de Carolina,
põe coroas de coral

nas colunas da colina

Cecília Meireles

segunda-feira, 18 de julho de 2016

ENCERRADO O BLOG- SE EU FICAR BOA DAQUI UNS 5 MESES VOLTO.



ENCERRADO O BLOG MINICONTISTA2, SE EU FICAR BOA
EU VOLTO EM 5 MESES, POIS ESTÁ HUMANAMENTE
IMPOSSÍVEL ESCREVER NOS DOIS BLOGS
ESTOU DOENTE E NÃO SEI COMO VOU FICAR
DEPOIS DAS DUAS CIRURGIAS
OBRIGADO A TODOS
BEIJOS
DORLI
FLORES PARA MEUS SEGUIDORES


sexta-feira, 15 de julho de 2016

Férias forçadas

Amigos



Vou tirar férias
Vou cuidar da minha saúde
Não sei se volto
Obrigada pelas visitas
Beijos a todos


quinta-feira, 14 de julho de 2016

Está tudo azul?


www.idade.espiritual.com.br
Proposta de atividade de Rosélia

 Está tudo azul?
É só olhar o céu azulzinho e todo amor que Deus fez com a natureza, mas infelizmente o homem está matando pouco a pouco e só o milagre de ganharmos a vida já é uma dádiva de Deus.
Já viu o oceano e o mar? Reparou que bem longe até onde nossa vista alcança, da uma sensação de que as águas são verdes e, mais perto da praia as águas são azuis e depois brancas? Esse é o milagre que Deus nos mostra para que saibamos que Ele existe.
Está tudo azul quando somos crianças amadas pelos pais, diferentes das que estão abandonadas em qualquer canto da podridão.
Está tudo azul quando encontramos o amor, vindo a seguir o casamento e para completar o amor dos filhos.
E na doença, está tudo azul? Tem que estar, pois a fé no Senhor pode nos libertar, mas muitas pessoas não conseguem, isso é que não consigo entender. Será que estarão pagando pecados que nunca fizeram? Ou fizeram...
Mas a vida é assim, se vem a doença, a separação e tudo que nos machuca temos que dizer: está tudo azul, pois os fluidos positivos vêm nos abraçar e lá de cima, Deus sorri.
Por que? Se a dor da carne está ficando insuportável, uma doença incurável, a dor da perda de um filho, então, ou em qualquer idade: Deus, por que não nos leva ao seu encontro para vermos o azul do céu?
Está tudo azul quando se tem um coração bom e caridoso, apesar das dificuldades da vida, ainda conseguimos ajudar os menos favorecidos.
Não querendo ser prepotente gostaria muito quando morresse pudesse ver o lindo azul do céu numa viagem ao encontro da paz.

Minha 1ª participação em homenagem aos
7 anos de blog da amiga  Rosélia   



terça-feira, 12 de julho de 2016

Brincadeiras de crianças






Que saudades da minha infância, solta pelos campos floridos, balançando a vida sem medo do perigo, gargalhando até me cansar. Foi um tempo lindo que não olvido jamais.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Quero sonhar contigo



Quero sonhar contigo a noite inteira, beijar os teus lábios, explodir em paixões, apertar-te no meu peito para poder dizer-te:  amo-te Artur para sempre, nisso ouço: eu também meu amor, vamos para casa, pois irei cobrar todas as tuas promessas. 

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Tudo está muito mal


                                                                        arroz e feijão

Chega de hipocrisia
Que a vida está uma maravilha
Não  precisa academia
Estão roubando nossa vida

A solidão dos mercados
 Arroz e feijão tá difícil comprar
Se continuar essa crise
Vamos morrer na esquina

Pros coronéis tá tudo bem
Caviar nas suas mesas sorri
Arroz e feijão sem o "zoiudo"
Compra-se fiado no bar do Zé

Felizes os que podem andar
Pra noite roubar um feixe de cana
Para enganar o triste estômago
Dos filhos a chorar a fome

segunda-feira, 4 de julho de 2016

A leveza do amor




Vivi na solidão de um passado
Que era a leveza de um grande amor
Vestia-me sempre de branco
Na esperança que um dia voltasse

Esse era nosso lindo ninho d'amor
De mãos dadas saíamos a andar
Sem rumo, mas os beijos eram nossos
E a promessa de um grande amor

O tempo passando eu já ainda só
Vinte anos de muitas saudades de você
Meu coração doía, lágrimas caiam e, nada
Um barulho,voltei minha cabeça

Não sabia se chorava ou sorria, via você
Fui me aproximando beijei seus lábios
Continuei eu a empurrar a cadeira de rodas
Aí, disse: eu o amo demais, abracei seu peito


 

sábado, 2 de julho de 2016

Médico rural, Colorado,EUA

TRABALHO


Médico rural, Colorado, EUA

W.Eugene Smith, 1948
Paradigma da foto de abertura de ensaios da fotográficos  da Life, a imagem resume o personagem à perfeição: um médico rural com sua valise, que atende seus pacientes de casa em casa.

Fonte: COLEÇÃO FOLHA GRANDES FOTÓGRAFOS

TRABALHO

sexta-feira, 1 de julho de 2016

O tempo não retrocede

O tempo não retrocede, vivamos o presente e que ele seja o melhor possível, pois o futuro também não existe e sim um presente mais distante. Depois do presente o branco total.
Você pode ter lembranças do seu passado, mas não pode estar lá, já passou, mas não pode ter lembranças do futuro que ainda não viveu e quando lembrar será passado depois vem a morte( doído presente). Triste, não?
Não vivemos o passado e nem futuro